SABIA QUE

Uma imagem de cinema: história do logótipo de A Rianxeira

Meia Europa estava fascinada com Sofia Loren. Com essa imagem de italiana determinada que manteve ao longo de toda a sua vida, já tinha rodado mais de uma dezena de filmes. Mas foi em 1955 com «La donna del fiume» que a Europa descobriu que tinha nascido uma estrela. A dramática história apresenta uma Sofia Loren esplendorosa. E oferece um momento indelével na memória dos que veem o filme, dançando como ninguém ao ritmo do Mambo Bacan.

A milhares de quilómetros de Itália, Jesús Alonso Fernández, que pouco antes tinha dado início à primeira fábrica da conserveira Rianxeira, deixa-se seduzir pela jovem atriz. E decide que a imagem da sua empresa vai ser a de uma mulher, numa pose muito parecida a uma do filme.

Desde então, neste meio século de vida da Jealsa, essa jovem sorridente foi o emblema que identificou por todo o mundo os produtos da Rianxeira. Só ao cumprir-se meio século desde a sua aparição é que o retrato sofreu leves alterações. O atual presidente da Jealsa pôs os seus olhos em Sofia Loren e num dos seus filmes mais populares. Mas fê-lo quando ninguém tinha reparado na atriz italiana.

Recentemente, numa das suas viagens ao Chile, o atual diretor-geral Jesús Alonso, não ligou ao que estava a ver quando se sentou num estabelecimento para tomar um café. Numa das paredes, estava colado um fotograma de «La chica del río». Era o mesmo que tinha chamado a atenção do seu pai, há décadas. Sofia Loren, em atitude chamativa, segurava numa lata de conservas entre as suas mãos. Jesús Alonso não hesitou em pedir uma cópia do cartaz. E convenientemente modificado para que a marca Rianxeira aparecesse na embalagem, figura hoje num lugar destacado da conserveira na sua principal fábrica de Boiro.

Rianxeira = Inovação

Desde a sua fundação em 1958, o grupo Jealsa sempre teve muito presente a inovação em todos os seus produtos e na sua comunicação. Jesús Alonso, o seu fundador, compreendeu desde o primeiro momento que apenas assim poderiam destacar-se no sector.

Um claro exemplo desta ânsia de inovação foi a inclusão, em 1987, da abertura fácil em todas as suas latas. Até à altura, qualquer produto cuja embalagem fosse uma lata necessitava de um instrumento adequado para ser consumido. Mas nesse ano a Rianxeira mudou por completo o hábito de consumo dos produtos do seu sector. Com um simples gesto e sem necessidade de nenhum acessório, agora era possível consumir as maravilhosas conservas de uma forma extremamente simples. Uma iniciativa que, pouco tempo após o seu lançamento, passou a norma no mundo das conservas em Espanha.

Uma década volvida, a Rianxeira voltou a marcar a diferença incorporando o azeite a toda a sua gama de produtos. Uma inovação que fez chegar a todos os seus consumidores as máximas vantagens que o azeite dá à saúde. Um novo passo na direção correta que demostrou, uma vez mais, o espírito inovador da marca, centrado sempre no benefício do consumidor. Um espírito inovador inerente à Jealsa que a levou a ser uma referência no território nacional.

A Rianxeira: Símbolo da Galiza

A passagem do tempo transformou a «A Rianxeira» no hino popular da Galiza. Durante os anos 70, encabeçou as listas dos discos mais vendidos, estendendo-se assim a sua popularidade, que na realidade já vinha de trás. Porque desde a década de cinquenta não havia reunião, refeição familiar ou verbena galega nas quais não pudesse ser ouvida. Escutou-se nos estádios e pavilhões desportivos mais importantes da Europa e no geral não há um canto no mundo onde viva um galego no qual não se entoasse em alguma ocasião.

Por isso, quando Jesús Alonso começa a erguer o atual grupo conserveiro da Jealsa, não hesitou na hora de lhe dar um nome. «A marca passou-me pela cabeça porque La Rianxeira era a canção que cantavam todos os galegos do mundo quando se reuniam numa festa». E desde então a marca continuou a crescer e chegou a grande parte do planeta sem perder a sua associação à bem-sucedida composição.

As origens desta canção são algo difusas, mas vários são os que afirmam que foi em 1947, na cidade de Buenos Aires, que nasceu a famosa canção. A sua autoria atribui-se a Anxo Romero Loxo e dizem que a criou como homenagem a Daniel Rodríguez Castelao, símbolo do nacionalismo galego.

Desta maneira criou-se a simbiose que tanto beneficiou a Rianxeira e a Galiza. A Jealsa associou-se aos valores tradicionais e familiares da Galiza definindo assim uma identidade corporativa única e por sua vez esta cultura tão rica e variada ganhou um defensor que promoveria as suas virtudes por todo o mundo.

Martes e Trece: o humor também alimenta

Josema Yuste e Millán Salcedo acabavam de constituir-se como duo, após o abandono do terceiro membro do que até a esse momento tinha sido um trio. Gozavam já de certa popularidade, mas ainda estavam muito longe do auge que viria nos anos seguintes. Por isso, quando a agência de publicidade propôs à Rianxeira duas opções, Martes e Trece ou Javier Gurruchaga com a sua orquestra Mondragón, os responsáveis de Marketing e o próprio presidente Jesús Alonso encontravam-se numa decisão complicada.

As suas frases, as suas ocorrências e demais recursos humorísticos influenciaram de tal maneira a sociedade que não era difícil ver imitações de outros artistas, inclusivamente de gente normal e corrente. Para o conseguir romperam com todos os convencionalismos: desde ignorar por completo o guião a começar a dançar uma muinheira a meio da gravação, como podem ver neste vídeo do making of da campanha.

Rianxeira conquista 2 medalhas

O ano 2005 foi um ano muito especial para a Rianxeira. Um ano que trouxe dois grandes êxitos para a marca:

O primeiro foi o lançamento do «solapín». Um novo mecanismo que permitia abrir as latas de conserva de forma mais simples e sem risco algum de corte. Um mecanismo que rapidamente foi copiado pelas restantes marcas do sector evidenciando que, uma vez mais, a Rianxeira marcava o caminho a seguir.

O segundo dos êxitos chegou no dia em que a equipa de Marketing da Jealsa reparou num jovem desportista de Cangas de Morrazo para anunciar o lançamento desta inovação. Um jovem chamado David Cal que então começava a destacar-se na disciplina de canoagem.

Hoje David Cal é o desportista galego mais premiado e um dos espanhóis mais competitivos de todos os tempos, tendo conquistado já várias medalhas nas Olimpíadas de Atenas e Pequim. Uma vez mais, a Jealsa demostrava que apostar nas jovens promessas era e é a decisão correta.

Rianxeira na rádio (I): Pepe Domingo Castaño e o helicóptero

Jesús Alonso, fundador da conserveira Rianxeira, sempre foi consciente de que uma boa publicidade é sinónimo de boas vendas. Desde o primeiro dia em que abriu a sua fábrica, entende que a publicidade neste sector é um dos pilares estratégicos do negócio.

Quando a rádio abriu novos caminhos publicitários, a Rianxeira não hesitou em aproveitar o poder da radiodifusão para divulgar a sua mensagem por meio oral e poder chegar assim a todas as classes sociais do país. Para o efeito, socorreu-se dos locutores com maior aceitação e popularidade nas ondas. Joaquín Prat, Iñaki Gabilondo ou Luis del Olmo são alguns dos nomes que estiveram presentes no lançamento definitivo da marca galega.

Um nome que gostaríamos de destacar entre todos eles é o de Pepe Domingo Castaño, galego de Padrón, e com uma das carreiras radiofónicas mais destacadas. A equipa de marketing da Rianxeira não duvidou dele nem por um segundo e subiu com todo o seu carisma e a atrativa personalidade para um helicóptero, de microfone em punho, para promover as virtudes dos produtos da conserveira por toda a Espanha. Dezenas de milhares de pessoas acotovelavam-se nas ruas e praças espanholas aguardando a chegada de um helicóptero que, com um dos grandes locutores a bordo, aterrava para oferecer abundantes prémios. Uma vez mais, a Rianxeira demostrou o seu compromisso e a sua proximidade com os clientes, como o continuaria e continua a fazer nos dias de hoje.

Rianxeira na rádio (II): Luis del Olmo e «Protagonistas»

Como já dissemos na primeira secção de «Rianxeira na rádio», a marca conserveira nunca duvidou da importância da publicidade e sempre apostou nos melhores até ao momento de transmitir a sua mensagem.

Um caso especial, na longa trajetória na rádio que tem a marca, foi o de Luis del Olmo. No seu programa «Protagonistas», com décadas de permanente êxito, Luis del Olmo contava com a bem-sucedida colaboração do famoso humorista Tip no seu microespaço «O jardim dos bonsais». Durante esta secção, Tip prestava-se a saborear os produtos da Rianxeira, chegando a fazer paródias das petingas ou dos calamares. Para o efeito, organizavam todas as manhãs uma degustação das conservas galegas e qualquer um que passasse pelo estúdio da Onda Cero podia participar na degustação. Estas degustações à porta aberta foram um verdadeiro êxito, chegando a provocar grandes aglomerações no Paseo de Rosais de Madrid.

Um dos maiores impactos da Rianxeira na rádio foi o obtido com um concurso, emitido na emissora Cadena Ser, no qual os ouvintes expressavam através de uma carta os seus desejos sobre a viagem dos seus sonhos. Vários sonhos foram cumpridos graças à Rianxeira, como o caso de uma mulher de Granada que, apesar de viver a cem quilómetros do mar, não o conhecia. Graças à Rianxeira, pôde cumprir o seu sonho. Ou o caso do casal que conseguiu realizar a sua tão sonhada viagem de lua-de-mel, vários anos depois de celebrar a boda.

Estas e muitas histórias mais conformam um balanço mais do que positivo nas ações realizadas na rádio pela Rianxeira, que ajudou a definir e lançar o que hoje é a marca Rianxeira.

Rianxeira ao ritmo da Macarena

Durante a década de noventa, a Jealsa começa a negociar a compra de direitos de canções para serem adaptadas às suas necessidades comerciais. Após ponderarem várias opções, adquirem os direitos de «Macarena» do duo Los del Río.

O duo andaluz de Dos Hermanas, integrado por Antonio e Rafael, contava já com uma extensa trajetória profissional que incluía a gravação de nem mais nem menos que 350 canções. Mas foi no lançamento de «Macarena» que alcançaram a verdadeira fama. Dez milhões de cópias vendidas, hino oficial da campanha eleitoral de Bill Clinton à presidência dos Estados Unidas e da NBA, catorze semanas seguidas como número um na lista americana de êxitos musicais Billboard e até conseguiram por o Alberto do Mónaco a dançar «Dale a tu cuerpo alegria Macarena. Dale a tu cuerpo alegría y cosa buena».

Não houve canto do mundo onde não chegassem os ecos desta canção. Assim se explica a batalha jurídica que disputou a Jealsa para continuar a deter os direitos da sua adaptação. E com essa alegria da versão «Macarena» a Rianxeira forjou uma aliança entre a conserveira e o duo musical. Uma aliança que, anos mais tarde, conseguiria levá-los às festas do padroeiro de Boiro para cantar aquela maravilhosa adaptação.